• eolor

Anitta e Claudia Leitte, histórias internacionais que se assemelham

Carreiras das artistas em busca do público global se assemelham? Confira análise em nosso editorial.

Anitta e Claudia Leitte, histórias internacionais que se assemelham

(Foto: Divulgação / Claudia Leitte e Anitta)


Durante as primeiras semanas de maio, Anitta preocupou fãs e admiradores do seu trabalho ao aparecer com um semblante abatido em meio às apresentações da música "Girl From Rio", nos Estados Unidos. Tópico foi parar nos assuntos mais comentados do Brasil, muito se discutiu em torno do assunto, vídeos de recentes entrevistas da cantora chegaram a viralizar na internet e um em específico chamou atenção. No registro, cantora comenta que não sabe mais quando seu novo álbum será lançado, ou ainda, quantas faixas possuirá.

Muito aguardado, projeto está em desenvolvimento há cerca de dois anos, conforme acompanhamos ao longo dos últimos tempos, e possui foco internacional, mais precisamente, com o público norte-americano. Não atoa, Anitta chegou a se mudar para Miami no início de 2021, objetivando realizar seu trabalho com maior facilidade. Além do altíssimo investimento, esforço e tempo gasto, a expectativa em torno dos fãs se manteve numa enorme chama crescente, afinal de contas, a nossa malandra chegou em locais únicos enquanto brasileira. Como mencionamos aqui, em outras reviews, Anitta já é uma artista internacional, o público latino já a conhece muito bem, resultado de seu incansável trabalho desde 2017, mas algo vem acontecendo. Sob total responsabilidade da Warner Music Group, os lançamentos em torno da era "Girl From Rio" parecem confusos ao público. Os próprios fãs de Anitta acusam a gravadora de não investir de forma correta nos lançamentos da cantora, fala-se sobre boicote em rádios e até em plataformas digitais de streaming. Tópicos nos remetem à batalha de Claudia Leitte com a gravadora RocNation.

(Foto: Divulgação / Claudia Leitte em "Carnaval")


Inegavelmente, até 2014, Claudia Leitte era a maior cantora do Brasil. Seus números impressionavam, era a maior artista nas redes sociais, chamou atenção do globo com sua apresentação e participação da Copa do Mundo e logo em seguida, fechou contrato com a gravadora de Jay-Z. As promessas em torno do primeiro álbum internacional de Claudia eram imensas, cantora chegou a dizer que compôs dezenas de músicas para o projeto, estava trabalhando com os produtores de Beyoncé, Rihanna, Madonna, chegou a ser cogitada sua participação no Festival Coachella, frequentava jantares imporantes em Hollywood e , assim como Anitta se mudou para Miami. O grande lançamento de Claudia sob o selo RocNation aconteceu no final de 2015 com "Corazón", parceria com ninguém mais, ninguém menos que Daddy Yankee.


Música, que é disparadamente, uma das melhores produções de Claudia, não caiu no gosto popular no Brasil, o país ainda não consumia reggaeton como nos dias atuais, na verdade, diversas rádios do Brasil passaram a boicotar Claudia, não reproduzindo a faixa. Além disso, o fenômeno das plataformas digitais também não se fazia presente com tamanha intensidade no mundo. Projeto da cantora seguiu e o prometido álbum, que já estava há mais de dois anos em produção, não chegou a ser lançado. Claudia comentou em diversas entrevistas, que seus produtores norte-americanos pediram para que ela regravasse o álbum inteiro. Ninguém sabe exatamente o que ocorreu, mas muito se discutia sobre a presença do axé music e a força da percussão, que sempre se fez presente nas músicas de Claudia, estivesse sendo banida por seus superiores, fazendo com que suas canções não fossem reproduzidas nos Estados Unidos. Fato pode ter fundo de verdade, afinal de contas, as rádios norte-americanas são conhecidas por serem extremamente excludentes e todo ritmo que chega visto como "novidade", caso do axé music, costuma ser ignorado. De tantas as músicas que Claudia trabalhou, produções como "Taquitá", "Carnaval" e a icônica "Baldin de Gelo", chegaram a ser lançadas isoladamente, agradando público e trazendo visuais incríveis.

Hoje, após Claudia romper contrato com a RocNation, especula-se que gravadora não tenha dado o devido investimento em nossa brasileira, afinal de contas, eles possuíam todos os direitos sobre as datas de lançamento, formas de divulgação e budget em torno da artista. Por mais que, até esse momento, carreiras de Anitta e Claudia Leitte se assemelhem em muitos aspectos, vale destacar que elas viveram em momentos completamente diferentes dentro da indústria musical. Anitta vive um momento de maior flexibilidade e facilidade de contato com colegas internacionais e produtoras, coisas que não eram possíveis em meados de 2015. A indústria vive em constante mudança e é preciso fazer grandes apostas para continuar crescendo, se assim for o desejo.

Tanto Claudia, quanto Anitta, são artistas adoradas por milhões de brasileiros, talentosíssimas, carismáticas e que continuam no topo, com carreiras consolidadas, recordes e muita qualidade.