• eolor

Anttoni lança 'Parte de Mim', álbum de estreia com reflexões sobre seus 17 ex-namorados

‘PARTE DE MIM’ aborda a visão do artista sobre as partes boas e ruins de se relacionar com outras pessoas.

Capa do álbum ‘Parte de Mim’, de Anttoni. Foto: Victor Araujo ; Edição: Mateus Vitório


O cantor Anttoni lançou nesta terça-feira (22), seu primeiro álbum de estúdio. O projeto, chamado de 'PARTE DE MIM' se inicia com a aceitação artística do cantor, que precisava antes de tudo se aceitar como artista. "É um álbum muito pessoal, tanto que defino ele como ‘parte de mim’. Acho que a única coisa que eu poderia cantar sobre são as minhas vivências de relacionamentos”, diz Anttoni em entrevista ao eolor.


“Trago toda essa vivência de ‘começa e termina’, num ciclo sem fim e o quanto isso me afetou. Porque um relacionamento já muda muito sua personalidade, você acaba mudando por pessoas e me fiz e refiz diversas vezes a cada relacionamento. Parei e percebi essas mudanças, trazendo isso pro álbum, cada parte de mim num relacionamento, contando em cada faixa”, destaca ele.




Famoso entre seus amigos por ter muitos namorados, ‘PARTE DE MIM’ aborda sua visão, contendo as partes boas e ruins de se relacionar com outras pessoas: o frio na barriga, o amor florescendo, o sexo, o medo de perder, o término, a dor e a superação. Todas as faixas são escritas por Anttoni. Há uma ordem cronológica entre as faixas do albúm, uma historia de ‘começo meio e fim’. Do pop ao rock, do amor ao ódio, o carioca mostra vulnerabilidade e versatilidade ao longo do albúm.


Se em ‘INTERLUDE’ Anttoni inicia seu albúm ‘’perdido e confuso’’ em um processo aceitando essa parte dele, em ‘’ARTE’’ ele finaliza sabendo exatamente quem ele é. Com certeza em uma faixa (ou mais) o público irá se identificar nessa história. Afinal, todo mundo já passou pelos conflitos do amor. O álbum é muito baseado no amor, acredito que o amor é tudo, até mesmo as desilusões que recebemos com ele”, explica o carioca. “Acho que sou um artista de álbuns, preciso contar uma história e vejo isso como algo muito audacioso da minha parte, lançar um álbum sem ter um público em massa. Mas acredito nisso, criei uma narrativa e acho que esses 17 ex-namorados funcionam nesse aspecto”.