Brasil em Cannes: Primeiro filme de dança brasileiro chega ao festival de cinema

Criada pelo bailarino e coreógrafo Thiago Soares, produção sem diálogos tem narrativa contada através do balé

(Foto: Divulgação)


Um filme brasileiro em formato inédito, sem diálogos e com sua história toda contada por meio da dança, chega ao Festival de Cannes pelas mãos de Thiago Soares, bailarino e coreógrafo brasileiro mais premiado internacionalmente, que foi astro do Royal Ballet de Londres por mais de uma década.


O filme é “Vermelho Quimera”, no qual Thiago criou a coreografia e divide a direção com o designer e artista brasileiro Oskar Metsavaht. Thiago também estrela a produção, ao lado da atriz Lana Rhodes. O filme foi selecionado para participar do Festival de Cannes dentro do disputado Short Film Corner, que acontece de 23 a 27 de maio. A seleção, um dos pilares do festival de cinema, reúne criadores, distribuidores e plataformas de todo o mundo, movimentando o mercado audiovisual internacional.

(Foto: Divulgação)


Sem diálogos, com a história contada em coreografia, “Vermelho Quimera” acompanha dois amantes que transitam em um universo paralelo, entre a ilusão e realidade, e encontram uma forma única e especial de se comunicar, através da expressão de seus corpos em movimento. A inspiração é o icônico balé “Pássaro de Fogo”.

“É um filme único no Brasil, no qual a dança não é acessória ao roteiro, mas sim a própria forma de se contar a história. É uma história contemporânea sobre duas pessoas que se reconhecem e se conectam através de uma comunicação própria. Uma linguagem que dispensa palavras é muito poderosa”, descreve Thiago. “É um filme que desconstrói os príncipes de palácios que fiz no passado e abraça minha maturidade e embarca em uma relação mais intensa e sensual da dança.”