L’Oréal Paris nomeia H.E.R. como embaixadora global da marca

Com apenas 24 anos e oito indicações ao Grammy 2022, a cantora negra de origem filipina que luta contra o racismo e a injustiça se junta ao time da marca

(Foto: Divulgação)


L’Oréal Paris anuncia a cantora e compositora de 24 anos, H.E.R., indicada em oito categorias do Grammy 2022, como sua nova embaixadora global. Entre os segundos artistas mais indicados na 64ª edição do maior evento de premiação da música, seu álbum completo “Back of my Mind” está concorrendo ao cobiçado prêmio Álbum do Ano, ao mesmo tempo em que concorre à Canção do Ano mais uma vez por seu hino de protesto “Fight for You”.

Assim como as letras de seu nome, H.E.R. está realmente “Having Everything Revealed” -- nome do seu álbum de estreia que, em tradução livre para o português significa “tendo tudo revelado”. A cantora, que chegou a esconder sua identidade para deixar a música falar por si só, é hoje o centro das atenções - e continua a inspirar outros com sua bela arte. Em suas músicas compartilha sua verdade sobre assuntos pessoais, como superar suas inseguranças e dúvidas. Ela também levanta a voz contra questões mais profundas como o racismo e a injustiça. O som dela se conectou com o público da geração Z em todo o mundo. "Minha música é o que está dentro de mim. Eu sempre escreverei sobre o que importa para meu coração e aos meus fãs”, diz H.E.R.

“Falando sobre inspiração, H.E.R. é uma das novas superestrelas do mundo da música, e ela tem apenas 24 anos! Nós estamos empolgados em receber uma das mais ressonantes vozes da Geração Z na L'Oréal Paris. Seu talento e sua confiança fazem dela uma porta-voz inspiradora, falando não apenas para mulheres jovens, mas para todas as mulheres, que confiem no poder do seu valor", diz Delphine Viguier-Hovasse presidente de marca global L'Oréal Paris.

“Quando uso minha voz, preciso ser 100% do que eu represento. Então estou muito feliz em me juntar à L'Oréal Paris e acrescentar minha voz a essa irmandade, representando a diversidade da beleza neste planeta, passando a mensagem de que toda garota sabe seu valor profundamente em seu coração”, afirma a cantora.

Após o sucesso inicial na telinha, Gabriella Wilson ainda era adolescente quando lançou seu EP de estreia em 2016. Cinco anos depois, “Back of My Mind” foi elogiado por sua nova abordagem ao R&B -- e por sua honestidade lírica. "Essa é quem eu sou. Isso é o que é”, diz ela. Assim como é cantora e compositora, H.E.R. também é uma musicista talentosa, tocando não menos que cinco instrumentos. Contabilizando quatro Grammys e um Oscar conquistados aos 23 anos, H.E.R. agora tem novas ambições definidas: ela quer um Emmy e um Tony Award também.

De uma artista desconhecida, hoje H.E.R. celebra sua identidade, que agora é reconhecida em escala global. "Senhoras e senhores... H.E.R." -- a apresentação da artista por Adele em um programa de TV tornou-se meme no TikTok, já que garotas de todo o mundo foram inspiradas a produzir cerca de 539 mil vídeos fazendo suas próprias transformações de cabelo. Os vídeos, vistos cerca de 28 milhões de vezes, carregavam a mensagem inclusiva “her” (ela), significando ela ou H.E.R. Ser dona da sua imagem e amar seu cabelo é uma mensagem que a cantora compartilha com os jovens fãs. Ela cantou a música da Vila Sésamo “Love your hair” no spin-off de Elmo Not- TooLate: “I wear it up, I wear it down, I wear it twisted all around, I wear braids and pigtails too, I love all the things my hair can do”, diz a letra da música. H.E.R. usa sua plataforma para defender negros e comunidades filipinas, de onde ela vem. Ela co-escreveu a música de protesto que definiu 2021, “I Can’t Breathe”, no auge do Black Lives Movement, e que foi vencedora de Canção do Ano no 63º Grammy - onde também ganhou o prêmio de melhor música de R&B para "Better than I Imagined". Ela seguiu esse feito ganhando um Oscar de Melhor Canção Original apenas alguns meses depois com “Fight for you”, co-escrita para o filme de 2021 “Judas and the Black Messias”. “Temos a oportunidade e a responsabilidade de contar a verdade”, declarou ela em seu discurso de aceitação. "Conhecimento é poder. Música é poder. E enquanto eu estiver de pé, eu sempre vou 'lutar por nós’”, completou.