Steve Toussaint disse ter sofrido racismo após ter sido anunciado em "House Of The Dragon"

"Eu não percebi que fechar o contrato era uma grande coisa até que fui abusado racialmente nas mídias sociais", disse Toussaint.

(Foto: Reprodução / HBO Max)


Steve Toussaint irá interpretar o Lord Corlys Velaryon, o homem mais rico de Westeros, na série prequel de "Game Of Thrones". Toussaint em entrevista para o The Hollywood Reporter comentou que alguns fãs não ficaram nenhum pouco felizes com a escalação do ator, pelo o fato dele ser negro e interpretar um personagem que é branco no livro "Fogo e Sangue", material que dá origem a "House Of The Dragon".


Toussaint ficou chocado quando o elenco foi divulgado. Alguns dos fãs reagiram ao primeiro ator negro sendo escalado a um papel principal no universo de "Game Of Thrones" de forma mal intencionada, lançando insultos e fazendo comentários racistas ao ator. Isso mostra um lado tóxico dos fandons quando atores negros são adicionados em papéis principais.


“Eu não percebi que [o elenco] era um grande negócio até que fui abusado racialmente nas mídias sociais”, disse Toussaint. “Sim, essa merda aconteceu. Eu fiquei tipo, 'Oh uau', e então pensei: 'OK, então isso significa muito para algumas pessoas, mas não posso permitir que isso me incomode'”.


Toussaint ainda contou que, embora o mundo criado por George R.R Martin seja uma fantasia, “ainda precisa refletir um mundo”.


“Adorei Game of Thrones , mas minha única ressalva foi: 'Onde estão todos os outros neste mundo?'”, diz ele. “Porque é um mundo diversificado que Martin criou se você olhar [além de Westeros], e acho que esse show se aproxima disso.”


O mesmo aconteceu recentemente com a atriz Moses Ingram, que interpreta a vilã Reva na série "Obi-Wan Kenobi" da Disney Plus. Moses compartilhou algumas das mensagens racistas que recebeu após sua aparição nos dois primeiros episódios até então lançados. Ela então usou o Instagram para agradecer aos seus verdadeiros fãs por tentarem coibir esse tipo de comportamento, mas disse a eles que não há nada que alguém possa fazer a respeito.


“Então eu questiono qual é o meu propósito mesmo estando aqui na frente de vocês dizendo que isso está acontecendo… Eu realmente não sei. Mas acho que o que me incomoda é esse sentimento que tive comigo mesmo – que ninguém me disse – de que tenho que ficar quieta e aceitar. Que eu tenho meio que apenas sorrir e aguentar. E eu não sou feita assim", disse Moses. “Então, eu realmente quero vir e agradecer às pessoas que aparecem para mim nos comentários e lugares que eu não vou me colocar. E para o resto de vocês… Vocês são estranhos”, finalizou a atriz.


A equipe responsável pela conta oficial de Star Wars no Twitter fez uma declaração oficial sobre o caso: “Existem mais de 20 milhões de espécies sencientes na galáxia de Star Wars, não escolha ser racista.”


Na HBO, o aumento da diversidade também acontece por trás das câmeras, quatro dos 10 episódios de "House Of The Dragon" foram dirigidos pela as diretoras Clare Kilner e Geeta Patel, além de lançar vários programas de orientação para recrutar talentos da equipe com origens sub-representadas. “Trabalhamos muito duro para garantir que houvesse diversidade real em todo o nosso navio”, diz Francesca Orsi, vice-presidente da HBO.


"House Of The Dragon" estreia dia 21 de agosto na HBO e HBO Max.