Universidade de Stanford anuncia missa utilizando Beyoncé como referência

A chamada "Missa da Beyoncé" utiliza a vida e as músicas da cantora como objetos de estudo sobre empoderamento negro

Universidade de Stanford anuncia missa utilizando Beyoncé como referência

(Foto: Getty Images / Beyoncé)


A Universidade de Stanford anunciou nesta semana a “Beyoncé Mass (Missa da Beyoncé)”, um culto que usa a música e a vida da cantora como uma ferramenta para cultivar uma conversa empoderadora sobre mulheres negras – suas vidas, corpos e vozes – e criar uma experiência de história.


A missa de Stanford marcará a primeira missa ao vivo da equipe desde março de 2020 e se concentrará no poder e resiliência das mulheres negras em meio ao caos, trauma e tragédia. A ética feminista que sustenta a massa explorará as maneiras pelas quais as comunidades encontram força, alegria e engenhosidade, apesar dos obstáculos da sociedade. A missa se concentra em como as comunidades marginalizadas, especialmente as mulheres negras, são uma manifestação do amor de Deus no mundo.


A Missa da Beyoncé é um culto cristão aberto a todos”, afirmou o Rev. Norton, idealizadora do projeto. “Esta não é uma cerimônia deificando Beyoncé. A premissa deste serviço é que, se olharmos para a vida pessoal, trajetória de carreira, música e personalidade pública de Beyoncé, muito de sua vida reflete aspectos das histórias das mulheres negras.”


A liturgia da Missa de Beyoncé acontecerá no próximo dia 23 de fevereiro, incluindo a musicalidade da vasta discografia de cantora texana, leituras de líderes femininas negras e um sermão do Rev. Norton, que é ordenado na Igreja Cristã (Discípulos de Cristo) e um Ph.D. candidato na Universidade Vanderbilt em Bíblia Hebraica e Israel Antigo.


Para mais informações acesse beyoncemass.com.