Como Ludmilla se reinventou e mostrou a potência do pagode no Mainstream

Atualizado: 3 de nov.

Sendo fruto de uma brincadeira, hoje, o Pagode/Samba se tornou um ponto de destaque na carreira de Ludmilla

(Foto: Reprodução / Diego Padilha)


Que a Ludmilla é hoje uma das maiores artistas do Brasil todo mundo já sabe, sua presença na indústria brasileira sempre teve seus momentos icônicos e sua carreira sempre abriu portas e conquistou feitos inimagináveis. Dentre feitos, ela se tornou a primeira cantora negra da América Latina a ultrapassar a marca de 1 bilhão de reproduções no Spotify em 2022.


Sem sombra de dúvidas, entre todos as conquistas da cantora, o seu impacto no gênero pagode é surpreendente. Não é qualquer um que consegue se reinventar dentro da categoria, obtendo sucesso como Ludmilla fez e segue fazendo, a exemplo do apoteótico 'Numanice'.


Antes de tudo, de onde surgiu o projeto ‘Numanice’? Tudo começou de uma brincadeira entre a Ludmilla e os fãs. No Prêmio Multishow de 2019, a artista fez uma promessa, declarando que se vencesse o título de 'Melhor Cantora', ela faria um lançamento de pagode. Obviamente ela venceu na categoria e assim, Lud lançou o primeiro EP do projeto em abril de 2020, que contava com seis músicas.


O primeiro EP, ‘Numanice’, lançado em 24 de abril de 2020 teve como single a faixa "Amor Difícil”, que hoje já acumula mais de 20 milhões de streams no Spotify, e ainda contou com regravação do hit de Alcione em versão pagode, o cover de “Faz Uma Loucura Por Mim” foi elogiado pela a própria cantora. A versatilidade de Ludmilla e sua entrada natural no gênero foi bastante aplaudida pela mídia no geral, transitar tão bem de um ritmo para o outro e se manter conquistando novos públicos como ela fez foi um feito surpreendente.


Com a mídia e o público presenciando ao vivo a força da Rainha da Favela no gênero, todos estavam esperando por mais projetos envolvendo ela e o pagode, até que veio o lançamento do ‘Numanice (Ao Vivo)’ no dia 29 de janeiro de 2021. Gravado no Pão de Açúcar, registro contou com as participações especiais de Thiaguinho, Bruno Cardoso, Vou Pro Sereno e Di Propósito, além do rapper Orochi. O projeto ao vivo foi um sucesso estrondoso, dando ainda mais destaque a cantora. Todos os vídeos ficaram em alta no YouTube assim que foram lançados, além de várias faixas dominarem o topo das paradas brasileiras.

(Foto: Divulgação)


A partir desse ponto, Ludmilla furou bolhas, não só na carreira dela, mas também de seu público, tivemos pessoas que não eram acostumadas a ouvir o gênero Pagode/Samba e que passaram a amar e a ouvir não só as músicas dela, como a de outros artistas que até então, eles nem conheciam, artistas esses que a mesma já levou várias vezes para cima do palco, onde performaram os hits mais marcantes. Com isso, a artista elevou ainda mais a força do Pagode/Samba, mas não esquecendo dos que já estavam ali, honrar a história sempre foi uma peça de suma importância para ela, assim como abrir portas para jovens artistas negras no Brasil.


Com a consagração, a maior artista negra da América Latina trabalhou no projeto ‘Numanice #2’, lançado em janeiro deste ano, projeto que quebrou os seus próprios recordes. Os visuais do disco, lançado em outubro, já possuem mais de 110 milhões de visualizações no YouTube tendo apenas 2 meses de lançamento, registro foi feito no Museu do Amanhã e contou com a participação de Péricles, Delacruz, Tá Na Mente, Gabby Moura e um feat mais que especial com Marília Mendonça.


Saindo um pouco do ‘Numanice’ em si mas ainda continuando no pagode, tivemos o lançamento do ‘Lud Sessions’ com a participação especial de Glória Groove, que já conta com 106 milhões de visualizações no YouTube e sem dúvidas, é um dos maiores hits da cantora.


Ludmilla possui hoje um dos shows mais cobiçados do país, com ingressos se esgotando em horas e melhor, até em segundos, além de deixar os sites instáveis, os fãs do Brasil inteiro pedem por um gostinho do ‘Numanice’ em seus estados. O último espetáculo aconteceu em Recife, na Arena Pernambuco. A artista levou o seu show de pagode que teve quase 4h de duração, e ainda contou com Felipe Amorim, Mari Fernandez e Rapha A Favorita como convidados especiais.


O Numanice se tornou um projeto enorme sem a menor pretensão. Claro que imaginava que as pessoas iam gostar, mas jamais imaginei que ia lançar tanto conteúdo dele em tão pouco tempo e que ia estabelecer novos recordes no segmento. Sou muito feliz por isso e muito grata a toda comunidade pagodeira, que sempre foi muito generosa e receptiva comigo”, disse Ludmilla.

Esse ato de se aventurar em um gênero que não era tão presente nas playlists e TOP’s 50 do país, podemos dizer até que ele não tinha destaque no Mainstream, e colocar ele no topo das principais paradas do Brasil foi um algo extraordinário e que deve ser reconhecido pela indústria.


Diante de tantos projetos incríveis, que servem para mostrar a versatilidade que Ludmilla possui e sua genialidade em criar obras incríveis, ela segue provando a sua potência, elevando sua forma de produzir e mudando a forma em como a música brasileira é tratada na sociedade. A nossa eterna Lud segue pavimentando o caminho para novas vozes crescerem em um meio que ainda não abraça a todos.


Seguindo o conselho de Beyoncé, Ludmilla construiu o seu próprio palco e chamou os seus para se juntar a mesa.


Enfim, nossa hitmaker segue conquistando públicos e crescendo cada vez mais, estamos aguardando ansiosamente os seus próximos projetos e continuaremos acompanhando de perto o seu legado ser construído.

 

Fique por dentro de tudo o que acontece no mundo da música. Siga o eolor no Instagram!